Estante do Refúgio: Agosto 2014

29/08/2014

A garota que eu quero - Resenha


Bem, vou começar explicando mais um dos meus sumiços...
Não estou tendo tempo de atualizar o blog todos os dias da semana, ler um livro por semana e fazer todas as atividades escolares, infelizmente. 
Queria avisar a todos que a partir de hoje postarei quando der tempo e não terei um cronograma para seguir, vou postar o que eu quiser e tiver vontade de compartilhar com vocês, mas postarei no mínimo duas vezes na semana, sem dúvidas.
E pra recomeçar bem, trouxe pra vocês a resenha de um livro realmente incrível!


Autor: Markus Zusak
Número de páginas: 176
Editora: Intrínseca

Sinopse:

"O Rube nunca amou nenhuma delas. Nunca se importou com elas. Nem é preciso dizer que Rube e eu não somos muito parecidos em matéria de mulher. Cameron Wolfe é o caçula de três irmãos, e o mais quieto da família. Não é nada parecido com Steve, o irmão mais velho e astro do futebol, nem com Rube, o do meio, cheio de charme e coragem e que a cada semana está com uma garota nova. Cameron daria tudo para se aproximar de uma garota daquelas, para amá-la e tratá-la bem, e gosta especialmente da mais recente namorada de Rube, Octavia, com suas ideias brilhantes e olhos verde-mar. Cameron e Rube sempre foram leais um com o outro, mas isso é colocado à prova quando Cam se apaixona por Octavia. Mas por que alguém como ela se interessaria por um perdedor como ele? Octavia, porém, sabe que Cameron é mais interessante do que pensa. Talvez ele tenha algo a dizer, e talvez suas palavras mudem tudo: as vitórias, os amores, as derrotas, a família Wolfe e até ele mesmo. "


Esse livro é um tanto inspirador e muito poético. Todo capítulo, quando acaba, tem um poema refletinto sobre o que aconteceu no capítulo todo, que o Cameron, personagem principal, escreve. Como por exemplo, esse:



No início, eu achei a história toda muito depressiva e chorei muito. Deem uma olhada nesse trechos para terem uma noção:






Porém, na metade do livro a história começa a ficar mais instigante e um tanto misteriosa, e no final e aprendi uma coisa muito bonita: "Depois da tempestade, sempre vem o arco-íris", ou seja, o menino que sofria por se sentir inútil se torna uma pessoa muito especial no final da história. 

Outro trocadilho legal é que ele se compara com um cachorro uivando, pois quando ele uiva ele sente fome, isto é, por dentro Cameron Wolfe gritava e uivava por fome, ele tinha fome de ser alguém. 
Achei a leitura bem intensa e um pouco demorada (comparando com o tamanho do livro), mas valeu muito a pena e vai levar 4 estrela. 
Comentem o que vocês acharam da resenha e se já leram esse livro antes.
Até a próxima, beijo da Mands!

15/08/2014

Me abraça

"Concordo com a famosa citação: abraço é muito mais que um encontro de corpos, é um encontro de corações. É muito mais que toque, pois os sentidos são os menos afetados. De todos, a alma é a que melhor sente. É sair do chão por um segundo e, ao mesmo tempo, sentir os pés mais firmes. Abraço é ter uma parte do nosso mundo entre os braços. É se ver livre quando preso. Abraço cura, sara cicatrizes e medos. É um presente recebido na mesma dose, intensidade, momento e gratidão com que é dado. Vale muito mais que beijo. Beijo é vontade, enquanto abraço é carinho. Nas festas, nas ruas, nos quartos quantas pessoas se abraçam? Digo, realmente, de alma e coração? Beijo é pressa, mas abraço é calma. Não tira fôlego, tira palavras. E quantas coisas nessa vida desesperada nos fazem ficar em silêncio por tanto tempo? Abraço é dizer com os braços aquilo que fica calado na boca. É estar ali e saber que o outro também está. É transmitir energia e filtrar tudo o que há de ruim. E é algo exclusivo de quem sente. Porque beijo é paixão… mas abraço é amor."
— ANÔNIMO

12/08/2014

Will & Will – Reflexões


Eu nunca tinha lido um livro de romance gay, e confesso que foi um pouco estranho no início. Porém, ao decorrer do livro eu deixei o preconceito de lado e me entreguei ao romance e aventura que pertence a história.
Vou citar algumas frases do livro e deixar minha opinião aqui:


Essa frase me inspirou tanto e significou tanto pra mim. Quando amamos alguém e não somos correspondidos a gente se acostuma tanto com isso que acabamos não sabendo lidar com outra situação.

“Quando as coisas se quebram, não é o ato de quebrar em si que impede que elas se refaçam. É porque um pedacinho se perde – as duas bordas que restam não se encaixam, mesmo que queiram. A forma inteira mudou.”

Quando alguém erra conosco, mesmo que a gente peça desculpa e perdoe, nunca vai ser a mesma coisa. E isso é realmente verdade. Não da pra apagar sem deixar as cicatrizes de lado.



Achei essa parte do livro tão bonitinha. A verdade é que conduzir um namoro é bem mais fácil do que conduzir uma amizade. Porque conduzir uma amizade não tem um roteiro pré-definido.

“As coisas que você mais quer são aquelas que te destroem no fim.”

Quanto mais a gente deseja, mais a gente fica possessivo, e logo depois de conseguirmos esta coisa, nós vamos perde-la, e isso vai doer muito psicologicamente.

Esse foi o post de hoje, espero que tenham gostado, e até a próxima!

Beijo da Mands.

11/08/2014

De Repente Acontece - Resenha



Autora: Susane Colasanti
Número de páginas: 286
Editora: Novo Conceito

Sinopse:

"No último ano da escola, Sara e Tobey não poderiam andar em direções mais opostas. Ela quer entrar na melhor faculdade, ele quer vencer a batalha das bandas... O outro objetivo de Sara é encontrar um amor verdadeiro. Tobey jura que esse alguém pode ser ele mesmo, mas, para Sara reparar nele é preciso tirar o lindo e perfeito Dave do seu caminho."

Esse livro trás um romance bem fofo e leve. Ultimamente eu estava com muita preguiça de ler (ai que vergonha!), e essa história foi o que me cativou e me lembrou qual era o gostinho dos livros. Demorei só dois dias para terminar porque as páginas são grossinhas, e as linhas tem um espaçamento perfeito. Aliás, nesse livro, tudo é perfeito!
Susane Colasanti tem um jeito de escrever que nos cativa de uma forma inesperada, e eu fiquei totalmente apaixonada pela capa desse livro.
Sem nenhuma sombra de dúvidas, ele vai levar cinco estrelas, e eu recomendo que todos leiam, porque é o tipo de livro que faz você esquecer tudo que está a sua volta. A única parte ruim 
é quando terminamos o livro, porque a gente fica "Ai meu Deus, e agora? O que eu faço? Não queria que tivesse acabado." hahahaha. 
Espero que vocês tenham gostado, e comentem aqui em baixo qual foi o último livro que você leu que te encantou!
Beijos da Mands.

08/08/2014

Explicação do meu sumiço


Oi pessoal, tudo bem? Acho que estou devendo desculpas pra vocês pelo meu sumiço, né? :( 
Essa semana eu estou estudando muito para o ENEM, e estou fazendo os posts da semana que vem, arrumando algumas coisas da escola, lendo livros, pesquisando músicas novas e etc... Me desculpem, viu? Semana que vem eu vou vir com tudo novinho para vocês, e prometo não faltar tanto assim com vocês.
Beijos da Mands!

03/08/2014

Livros Comprados em Julho


Oi amores, tudo bem? Então, no início de julho eu viajei, mas um pouquinho antes pedi cinco livros pela internet, e assim que cheguei aqui já possuía os cinco livros novinhos em folha.
Depois de pesquisar muito, e de muita indecisão, eu pedi os cinco seguintes:


Fonte: http://www.psychobooks.com.br/ 
Sinopse - A Garota que eu Quero - Markus Zusak:

"O Rube nunca amou nenhuma delas. Nunca se importou com elas. Nem é preciso dizer que Rube e eu não somos muito parecidos em matéria de mulher. Cameron Wolfe é o caçula de três irmãos, e o mais quieto da família. Não é nada parecido com Steve, o irmão mais velho e astro do futebol, nem com Rube, o do meio, cheio de charme e coragem e que a cada semana está com uma garota nova. Cameron daria tudo para se aproximar de uma garota daquelas, para amá-la e tratá-la bem, e gosta especialmente da mais recente namorada de Rube, Octavia, com suas ideias brilhantes e olhos verde-mar. Cameron e Rube sempre foram leais um com o outro, mas isso é colocado à prova quando Cam se apaixona por Octavia. Mas por que alguém como ela se interessaria por um perdedor como ele? Octavia, porém, sabe que Cameron é mais interessante do que pensa. Talvez ele tenha algo a dizer, e talvez suas palavras mudem tudo: as vitórias, os amores, as derrotas, a família Wolfe e até ele mesmo."


Fonte: http://www.maniasdemoca.com/
Sinopse - A Última Carta de Amor - Jojo Moyes:

"Londres, 1960. Ao acordar em um hospital após um acidente de carro, Jennifer Stirling não consegue se lembrar de nada. De volta à casa com o marido, ela tenta, em vão, recuperar a memória de sua antiga vida. Por mais que todos à sua volta pareçam atenciosos e amáveis, Jennifer falta alguma coisa. É então que ela descobre uma série de cartas de amor escondidas, endereçadas a ela e assinadas apenas por “B”, e percebe que não só estava vivendo um romance fora do casamento como também parecia disposta a arriscar tudo para ficar com seu amante. Quatro décadas depois, a jornalista Ellie Haworth encontra uma dessas cartas endereçadas a Jennifer durante uma pesquisa nos arquivos do jornal em que trabalhava. Obcecada com a ideia de reunir os protagonistas desse amor proibido — em parte porque ela mesma está envolvida com um homem casado —, Ellie começa a procurar “B”, sem desconfiar que, ao fazer isso, talvez encontre uma solução para os problemas do seu próprio relacionamento."


Sinopse - De Repente Acontece - Susane Colasanti:

"De repente acontece fala daquelas paixões que começam do jeito errado e têm tudo para terminar errado – mas, depois de ler a última página, a gente acredita que o amor existe. Se você é uma menina, este livro vai ajudá-la a entender o que se passa na cabeça dos garotos. Se é um menino... Bem, se você é um menino, também vai gostar de De repente acontece. Uma história simpática, com cara de vida real. E que poderia acontecer com você ou com a sua melhor amiga!"


Fonte: http://www.burguesinhas.com.br/
Sinopse - Deixe a Neve Cair - John Green/ Maureen Johnson/ Lauren Myracle:

"Na noite de Natal, uma tempestade de neve transforma uma pequena cidade num inusitado refúgio para encontros românticos. Em “Deixe a Neve Cair”, bem sucedida parceria entre três autores de grande sucesso entre os jovens, John Green, Lauren Myracle e Maureen Johnson escrevem três hilários e encantadores contos de amor, com direito a surpreendentes armadilhas do destino e beijos de tirar o fôlego. E provam que o amor verdadeiro pode acontecer quando e onde menos se espera."


Fonte: http://http://www.perdidanautopia.com/
Sinopse - Will & Will - John Green/ David Levithan:

"Em uma noite fria, numa improvável esquina de Chicago, Will Grayson encontra... Will Grayson. Os dois adolescentes dividem o mesmo nome. E, aparentemente, apenas isso os une. Mas mesmo circulando em ambientes completamente diferentes, os dois estão prestes a embarcar em um aventura de épicas proporções. O mais fabuloso musical a jamais ser apresentado nos palcos politicamente corretos do ensino médio."


Bem, essas foram as minha aquisições. Eu já li "Will & Will" (e já postei a resenha), e estou lendo "Deixe a Neve Cair" atualmente. Aguardem as resenhas de cada um, pois com certeza vou faze-las. Estou super curiosa para ler "De Repente Acontece" hahaha. 
Deixem a opinião de vocês aqui em baixo.
Beijos da Mands!

02/08/2014

Jogos Vorazes em Chamas - Filme


Gente, quero pedir mil desculpas por não ter postado a resenha de um filme na quinta-feira, realmente não deu tempo. Mas prometo que estou me esforçando ao máximo para sempre seguir o cronograma.
Como eu não postei a resenha na quinta, vou postar hoje, okay?
Hoje eu trouxe o famoso filme "Jogos Vorazes em Chamas".



Ficha Técnica:
Ano de Lançamento: 2013
Gênero: Ação
País de Origem: EUA
Duração: 146 minutos
Direção: Francis Lawrence

Sinopse:
"Este é o segundo volume da trilogia Jogos Vorazes, baseada nos romances de Suzanne Collins. A saga relata a aventura de Katniss (Jennifer Lawrence), jovem escolhida para participar aos "jogos vorazes", espécie de reality show em que um adolescente de cada distrito de Panem, considerado como "tributo", deve lutar com os demais até que apenas um saia vivo. Neste segundo episódio da série, após a afronta de Katniss à organização dos jogos, ela deverá enfrentar a forte represália do governo local, lutando não apenas por sua vida, mas por toda a população de Panem."

Trailer:


Bem, não me julguem, mas eu nunca li nenhum livro de Jogos Vorazes, mas eu pretendo ler, viu?! Hahahaha.
Eu vi esse filme no último dia de aula, antes das férias de julho, na escola, e eu realmente achei muito surpreendente! Eu sempre achei que seria chato, mas UAU, fiquei completamente apaixonada pela história, e NECESSITO assistir o próximo filme.
Espero que tenham gostado do filme, semana que vem eu juro que vou tentar cumprir o cronograma. Deixem a opinião de vocês aqui em baixo. 
Beijos da Mands! 


01/08/2014

Amor...

“Acho que foi em 2004 que a vovó parou de andar. Simplesmente não conseguia mais, ela nunca foi muito ativa, dessas avós corre-mundo de novela, fazia mais o tipo avó de palavras-cruzadas, rezas católicas, Roberto Carlos e jogos do Internacional no radinho de pilhas. Meu avô era o oposto, estava sempre zanzando, sempre trazendo algo novo da rua, ou o usual hálito etílico da birita dominical com seus cupinchas de bar (quantas vezes ouvi a ordem “o almoço está quase pronto, vá buscar o seu avô!”). Eles não admitiriam – nem poderiam, entre tantos outros – mas sempre me senti o neto predileto, eu estava sempre por perto, era amoroso, gostava de brincar com os lóbulos molengas dela e assistir filmes de bang-bang e jogos de vôlei feminino com ele. Um dia meu avô me chamou no quarto. Supostamente minha avó não queria se levantar para tomar o último café do dia, e a lenga-lenga estava o deixando irritadiço. Então eu tive de dizer “ei, vô, a vó não caminha mais” e ele ficou meio confuso, as mãos na cintura, ofegando. Não deu outra, após alguns exames detalhados, o diagnóstico foi o tal do Mal de Alzheimer, coisa que só se dava com o avô dos vizinhos. Com mais alguns anos, minha avó deixou de se alimentar como um adulto, passou a se comunicar apenas com gemidos e sinais. E meu avô foi esquecendo quem eu era, quem era todo mundo. Só não esquecia da sua “Deusa”, como ele dizia, que estava sempre ali, na poltrona próxima à janela. Era um tanto irônico. Ela, com a memória de ferro intacta, vegetando. Ele, pra lá e pra cá nos corredores, perguntando às enfermeiras que horas o carro chegaria para levá-lo de volta para sua casa – onde ele já estava, de onde dificilmente saia. Na cabeça dele, estava, vai saber, na agência de Correios onde sempre trabalhou até uns 30 anos atrás. O tempo foi passando, ele deixou de assistir filmes de bang-bang, foi ficando cada dia mais esquecido, mas agressivo e impaciente, às vezes protagonizando umas cenas engraçadas, que a gente ria antes de chorar. Mas sempre zanzando. Corredor, cozinha, porta da frente sempre trancada, corredor, sala, banheiro, quarto de dormir. Como se estivesse num lugar nada residencial, trancado fora do mundo que levou décadas para construir. Então a vovó pegou uma pneumonia. Aí melhorou. Ficou ruim outra vez, os antibióticos não funcionavam. Até que me ligaram no meio da noite. “Ela piorou muito”, eu sabia, era apenas um eufemismo de quem não sabe como dar a notícia. Ao chegar no quarto, o rosto frio de quem não havia sofrido muito, os socorristas preenchendo formulários, legalizando o sono eterno. Ele deitado do lado, olhos fechados e o neuro-tique de mastigar as gengivas, sem nada desconfiar. Igual ele não discerniria, seria árduo explicar a diferença de vida e morte a um velhinho agredido por uma doença degenerativa avançada. Foi consenso não contar, às vezes a realidade apenas traz dores desnecessárias, felizes são os que vivem no mundo da lua. Pela manhã, enquanto ele contava piadas na sala, a funerária passou com o corpo. Isso foi há umas duas semanas, mais ou menos, e até hoje ele não perguntou por ela. Parece feliz, daquele jeito dele, dias bons, dias ruins, nenhum é igual. Não sei se foi o certo a fazer, mas foi o melhor. Há casos em que a correção não alivia o sofrimento de ninguém. Mas uma coisa me veio à cabeça, enquanto o padre fazia a extremunção divertindo o pessoal melhor do que faria Jerry Seinfeld, um verdadeiro showman. Será que ela não segurou a barra de viver entrevada esse tempo todo só para morrer quando justamente não o faria sofrer? Impossível saber, mas eu acho que sim, seria uma prova de amor contundente no meio dessa matilha de relações egoístas. E, apesar de não crer muito nessas coisas, também gosto de pensar que ela foi para um lugar melhor. Um lugar onde as pessoas lembram do seu nome.”
— Gabito Nunes.

Desenvolvido por Ilaloá Design (2015)